História

Em 1964 o Brasil preparava-se para entrar na primeira Campanha Nacional de Evangelização que seria em 1965.
O tema era “Cristo, a Única Esperança”.

Pastor Samuel de Souza era o então diretor do Colégio Batista de Niterói e também Secretário Geral da ANEB – antiga Associação Nacional de Educandários Batistas, hoje o ‘E’ significa Escolas. Numa das reuniões de planejamento da Campanha, como secretário da ANEB, fez uma proposta para que cada Colégio Batista no Brasil organizasse uma Congregação Batista dentro de suas instalações. Para o Colégio Batista de Niterói, Deus tinha um plano ainda mais ousado: Queria uma Igreja! Tudo foi providenciado. A Igreja Batista de Pendotiba (atualmente PIB Pendotiba), da qual o Pr. Samuel era o pastor, e a Igreja Batista de Icaraí convocaram o Concílio para a organização da nova igreja .

Juntaram-se 31 irmãos de várias igrejas, pois naquela época existia a Casa do Estudante Batista, instituição que hospedava estudantes de muitas outras cidades brasileiras que vinham para estudar em Niterói. Assim a igreja recebeu membros de Teresópolis, Petrópolis, Campos, Macaé e até de Mato Grosso, além de claro, os niteroienses.

A Igreja funcionou no Colégio durante aproximadamente 3 anos, mas Deus já tinha separado o local onde seria erguido o templo atual. Primeiramente foi comprada uma casa no número 125 da Rua Dr Paulo Alves. A casa maior, na parte da frente do terreno foi derrubada. A parte traseira foi adaptada e também foram construídas 2 salas no terreno vazio, uma fachada bonitinha e um grande gramado. Ficou bastante acolhedora.
E a Igreja foi crescendo muito animada. Havia sempre EBFs – Escola Bíblica de Férias – e Séries de Conferências com pastores e missionários convidados. Tínhamos uma bandinha rítmica infantil que era um verdadeiro sucesso. Sempre convidada a tocar em outras igrejas, sob a regência da Prof. Nicéa de Souza.

Nossas Mensageiras do Rei brilhavam sob a direção da saudosa Dona Josepha Messer (Dona Zezé).
A UMBI (União de Mocidade, hoje Unijovem) participava sempre das “maratonas” anuais para jovens, que era uma série de tarefas organizadas pela “Junta de Mocidade”.

Tínhamos Coro, Quarteto Feminino, Quarteto Masculino, Grupo Jogral (Os Grupos jograis eram grande moda na época).
Quando a igreja estava preparada para começar a construção do novo templo, aconteceu uma coisa que podemos considerar um milagre de Deus. O terreno número 121 tinha uma obra já começada, com alicerces feitos, para um edifício de apartamentos de 8 andares: COMPLETAMENTE VENDIDO. Pastor Samuel, no seu desejo de que o templo fosse maior, resolveu dar um “passeio” no terreno. Pediu ao vigia para fazê-lo e disse ao senhor que Deus prometera que “onde puseres a planta do teu pé, será teu”. O homem achou o que o Pastor Samuel estava brincando, mas permitiu. Sendo assim, ele deu uma volta pelo terreno e orou.
Algum tempo mais tarde o dono do terreno procurou a igreja para oferecer o terreno. Desistira da obra e já indenizara a todos os compradores. A Igreja comprou o terreno! Deus cumpriu Sua promessa!

Durante a campanha para angariar fundos para a construção do templo, Pr. Samuel criou o Banco do Desenvolvimento do Reino de Deus, que era um banco fictício, mas que ajudou muito na obtenção dos recursos para a obra.
A Igreja continuava a crescer e, mesmo com as dificuldades que foram aparecendo no bairro, o trabalho continuava firme.

A música em nossa igreja sempre contou com elementos de muito valor, como o grande Maestro Silas Sias, sua família e seus amigos músicos que, além de abrilhantarem os cultos, traziam grande repercussão evangelística.O Missionário Dimas Filho foi fruto abençoado deste ministério. Podemos lembrar de Flávia Mirtes, Denise Carvalho, Fátima Mendonça, Elza Pinho, Newton de Souza, Lomar Sias, Helena de Souza Torres, Luíz Abreu, Mileda Rachid, Dulcília Evangelista, Elazir e Nelsino Belchior, Eleonora Reys, Gisele Prado de Souza, Shirley Rocha Mello, Alessandra Rocha Mello, José de Arimatéa Cerqueira, Elizabete Coimbra Cerqueira, Felipe Lima, José Oliveira da Silva e tantos outros que serviram e servem atualmente como cantores nos nossos corais e na liderança do Ministério da Música com talento, preparo e espiritualidade.

A igreja sempre estimulou Missões, sempre ajudou no sustento dos missionários. Mesmo quando estava com as finanças reduzidas pelas necessidades da construção do templo, o ideal missionário nunca foi esquecido. A irmã Elza de Souza sempre foi uma divulgadora de Missões e agora nossa promotora é a irmã Rosângela Miranda.
A Cooperação denominacional também sempre foi valorizada e, além do Pastor e Dona Maria Amália, que participavam de muitas Juntas da CBF e CBB, outros irmãos também procuravam e procuram hoje, ajudar em tudo que possível na denominação batista.

O tempo foi passando e a Igreja já tinha uma planta para o templo em seus 2 terrenos. Mas Deus nos daria MAIS! Apareceu uma oportunidade de comprar o terreno que fica atrás dos que já tínhamos. E a Igreja pode comprá-lo também. Mais espaço, outra planta!

Nesta época a irmã Celeste, filha do Pastor Samuel, já se formara em Arquitetura e prontificou-se a fazer a planta e acompanhar a execução da obra graciosamente. E hoje temos este belo templo! Tudo carinhosamente pensado para a beleza e o conforto e, principalmente, para a adoração e louvor ao nosso Deus. Muitas campanhas foram feitas e os membros tinham uma animação permanente para que tudo ficasse lindo e o mais rapidamente possível!
Deus usou a Junta Patrimonial do Sul do Brasil e o Banco Econômico, através de seu gerente e membro da igreja, Jadson Gabriel Coelho Dias, para emprestar os recursos necessários à obra. Empréstimos que foram pagos sempre pontualmente.

Também o “Fundo Pastor Manoel Avelino de Souza, Memorial Colégio Batista de Niterói”, por força do Acordo do Ingá, emprestou algum dinheiro para a Construção. Este fundo havia sido instituído quando da doação do patrimônio do Colégio Batista de Niterói à Convenção Batista Fluminense, para auxiliar na construção ou reformas de templos batistas.A Associação Batista de Educação, fundadora e mantenedora do Colégio, fez a doação com uma cláusula que previa que, ao invés de pagamento pelos terrenos e prédios, a CBF instituísse o Fundo. Infelizmente , nossa igreja foi a única a ser ajudada. O Fundo não foi implementado nem regulamentado! Mas nós tivemos esta bênção. Pagamos tudo pontualmente e nosso templo ficou pronto! Foi inaugurado, ainda semi-pronto, no casamento de sua arquiteta, irmã Celeste em 1982.

E, com o templo pronto, começamos uma nova fase.

Ganhamos muitas pessoas para Cristo e outros trabalhos puderam ser feitos, como a Escola de Vida, que era um projeto ao mesmo tempo social e evangelístico para ajudar as famílias das comunidades carentes.

Fomos pioneiros em trabalhar com a terceira idade com o Projeto Real Idade.

Temos oficinas de Música.

Em muitas oportunidades já tivemos aulas de Trabalhos Manuais e Artesanato e Cursos de informática, que, se Deus permitir, serão reativados.

Depois foi construído o anexo, onde temos o Salão Branco, para festividades e reuniões culturais e sociais, gabinete médico, secretaria, várias salas para o Departamento Infantil, ensaios, Mensageiras do Rei, Embaixadores do Rei e Biblioteca.

Nossos Embaixadores conquistaram vários troféus de participação em trabalhos denominacionais.

Nossas Mensageiras também já realizaram e realizam muito.

Nossa MCA e JCA também são muito operosas. Na sua liderança passaram nomes como Eva de Souza, Maria Amália, Isma França, Elza de Souza, Cleonice Amorim e atualmente Mírian Rachid, entre outras abençoadas irmãs. A irmã Nilza França há muitos anos faz um lindo trabalho com os idosos do Lar Batista. Se fôssemos aqui contar o trabalho de tantas irmãs, este resumo não teria fim.

Nosso Corais são ótimos, nossos instrumentos musicais são bons e muitos. O grupo de louvor Primícias, realiza o trabalho musical com os jovens.

No passado tivemos o Coral Jovem, que chegou a apresentar partes da cantata “Maior Amor” na cidade de Santos.

Os Diáconos, todos consagrados, nenhum eleito, são base firme para sustentar com oração e trabalho o ministério pastoral.

Foram, durante 46 anos do Ministério do Pr. Samuel aqui no Ingá, o braço direito em todas a s realizações da igreja. Podemos lembrar , entre outros, dos irmãos José Reis, José Rodrigues Costa, Nazon França, todos na Glória com o Senhor e suas esposas Odilha e Emília, também com o Senhor e a irmã Nilza que ainda temos o prazer de sua convivência e colaboração. Irmãos Newton de Souza, Altair Azevedo, Antonio Queirós que estão há mais de 40 anos servindo nesta Igreja e outros que foram chegando ao trabalho de diaconato posteriormente, como os irmãos Toríbio Santos, Nilton Miranda, Carlos Nascimento, Lino Lopes, Lysias Plouvier, Waldyr Vicente, Alessandro Pinto e Marcos Rachid em plena atividade atualmente.

Por nossa igreja também passaram muitos pastores, que não eram titulares mas sempre grandes colaboradores do Pr. Samuel de Souza como: Osmar Soares, Waldir Rocha, Regeani, José Maria Tougeir e Paulo Sias, todos com Deus hoje e ainda, Cláudio França, Plautino Oliveira, Josué Cardoso dos Reis, Eltimar Lopes, George Alexandre Andrade, Daniel de Athayde, Cleinton Gael e atualmente Marco Aurélio Mendes, Almir Filho e João Luiz Nóbrega.

Em 31 /12/ 2010 aprouve ao Senhor chamar o nosso Pastor Samuel para ir gozar das delícias celestiais.

Período difícil, de transição e de saudade, mas que foi vencido com a ajuda de Deus, muita Oração e a colaboração prestimosa do Pr. Edgard Barreto Antunes.

Dia 12/ 02/2012 elegemos nosso novo pastor, Edimar Guimarães Pereira, ex-seminarista e ex- pastor missionário desta igreja há 25 anos passados. Quase “filho” de nossa igreja, uma vez que foi consagrado ao Ministério a pedido dela. Nosso amigo permanentemente, que nunca esqueceu da Igreja Batista do Ingá e que há algum tempo nos agraciou com um belo artigo no “O Jornal Batista” com o título “Fui abençoado no Ingá”.

Que Deus nos abençoe sob esta nova liderança e que o Pr. Edimar e sua família possam sempre dizer “Somos felizes e abençoados no Ingá”!

Assim como todos que passaram e passarão em nossa igreja possam dizer: “SOU ABENÇOADO E FELIZ NA PIB INGÁ”.

Amém!

Denise Carvalho de Souza

(Texto escrito em 05/03/2012)